Newsletter

Cadastre-se e receba nossos informativos

Nome:
Email:
 
Artigos
Dança das cadeiras
Em: 24/04/2015 por: Bernt Entschev - Revista Amanhã

Para conquistar a confiança do grupo, é importante que o processo seja embasado em argumentos justificáveis

Um momento comumente tenso nas empresas é a famosa “dança das cadeiras”. Promoções, realocações, demissões e contratações – principalmente as que lidam com posições estratégicas – costumam despertar a insegurança nos colaboradores. Quando isso ocorre, o clima organizacional também sofre mudanças, que podem ser boas ou ruins, a depender da abordagem e da forma de encará-las. Afinal, como evitar que as movimentações de cargos tragam o sentimento de receio para o grupo?

Processo bem elaborados

Para conquistar a confiança do grupo, é importante que o processo de seleção ou de promoção seja bem embasado em argumentos válidos e justificáveis. Uma gestão transparente, que deixa claro para os envolvidos os motivos das movimentações, seus objetivos e impactos, é vista como responsável e madura pelo grupo de profissionais. Uma das principais causas da insegurança dos colaboradores em relação a esse tipo de mudança é o fato de não saber que tipo de impacto negativo pode ser sofrido por eles. Ser transparente evita qualquer mal-entendido. Outro ponto relevante que caracteriza um processo de seleção ou de promoção bem elaborado é a imparcialidade com a qual são tomadas as decisões. Os critérios precisam ser os mesmos para todos os envolvidos. Também é necessário que a organização deixe claro para o grupo os motivos que levaram às escolhas finais –principalmente se tiver havido concorrência interna.

Como a empresa deve elaborar os critérios de seleção?

Quando a organização decide que precisa contratar ou movimentar profissionais internos, ela deve levar em consideração os próprios objetivos. Os profissionais escolhidos devem ser capazes de auxiliar a empresa a atingir as metas almejadas. Mudanças precisam ser justificadas e estas justificativas devem ser pautadas no crescimento e na evolução dos negócios.

Como o profissional deve se comportar diante de movimentações de cargos?

O profissional deve saber que esse tipo de situação é absolutamente normal no ambiente corporativo e precisa aprender a lidar com as mudanças. É necessário, ainda, aprender a  não levar para o lado pessoal caso não tenha sido a escolha da empresa naquele momento. É importante que esse fato não interfira na qualidade do trabalho realizado por ele. É imprescindível lembrar que ser competente traz mais benefícios para o profissional que para a empresa – afinal, a carreira só pode ser construída pelo próprio indivíduo. Tirar o que há de bom de situações complicadas traz amadurecimento e experiência. Qualquer mudança mexe com as estruturas de uma empresa, afinal, o grupo de colaboradores possui certas identificações e, claro, um padrão de trabalho. O importante, no entanto, é compreender que mudanças podem trazer muitos benefícios para todos. A empresa precisa agir com responsabilidade e transparência, enquanto os colaboradores precisam encarar a situação com maturidade. Mudar é preciso e só traz benefícios. Basta fazer de forma correta e embasada.

Mais artigos:
21/07/2017 - Público do CONCARH cresce 22% em relação às edições anteriores
13/10/2016 - Os motivos que fazem a carreira em Recursos Humanos estar em alta
11/10/2016 - A geração que encontrou o sucesso no pedido de demissão
28/09/2016 - e-Social: agora é pra valer!
 
Associação Brasileira de Recursos Humanos Litoral - Regional Itajaí
Sistema Nacional ABRH
Fone: (47) 3342 8877
Rua Samuel Heusi, 463 - Sala 207 - Centro
88301-320 - Itajaí - SC
Todos os direitos reservados 2009.
Desenvolvido por Ydeal Tecnologia.