Newsletter

Cadastre-se e receba nossos informativos

Nome:
Email:
 
Artigos
Gestão e Liderança: Seis atitudes que diferenciam gestores de líderes.
Em: 11/12/2014 por: Por Simoni Missel

Perfis profissionais são diferentes no cotidiano, mas igualmente importantes para o sucesso das organizações. Empresas precisam tanto de gestores como de líderes para crescer e prosperar

No dia a dia das empresas, observando o perfil de Gestores e Líderes, é bastante perceptível como diferem na forma de se relacionar com seus chefes, pares e subordinados e também na execução de metas e objetivos.

Com base nas diferenciações citadas abaixo, o perfil ideal para um profissional de sucesso seria equilibrar as características do perfil de gestor e do perfil de liderança. É bastante difícil reunir ambos, uma vez que são derivados de personalidade e formação diferentes, mas também não é impossível. É importante considerar que ambos são necessários para o sucesso das organizações.

PERFIL DE GESTÃO

- Gosta de processos;

- Busca estabilidade;

- Estabelece controles;

- Tenta resolver problemas rapidamente antes de entender profundamente a essência da questão;

- Tem tendência ao conservadorismo;

- Garante que as rotinas de negócios da empresa sejam cumpridas.

PERFIL DE LIDERANÇA

- Permite criatividade e imaginação nos rumos da Empresa;

- Busca inovação, oportunidades e recompensas onde os outros não enxergam;

- Usa o poder para influenciar ideias e atitudes de outras pessoas;

- Prefere adiar a solução para entender melhor tudo o que ela envolve;

- Inspira os subordinados, com visão e paixão;

- Adota atitudes pessoais e ativas em relação às metas.

Uma cultura de gestão põe ênfase na racionalidade e no controle. Seja concentrando suas energias para metas, recursos, estruturas organizacionais ou mesmo para pessoas, um gestor é um solucionador de problemas. O gestor pergunta: ”Quais os problemas a resolver e qual a melhor maneira de obter resultados de modo que as pessoas continuem contribuindo para a organização?“ Sob esta ótica, a liderança é simplesmente um esforço prático para tocar os negócios. Não é preciso genialidade ou heroísmo para ser um gestor, mas persistência, determinação, trabalho duro, inteligência e capacidade analítica e talvez o mais importante, tolerância e boa vontade.

Neste cenário, o líder é um indivíduo brilhante e solitário, que deve exercer o controle sobre si mesmo antes de controlar os outros. Ele vai muito além de administrar o trabalho que outras pessoas executam.

As empresas precisam tanto de gestores como de líderes para crescer e prosperar. Porém, coordenando programas de desenvolvimento de lideranças há mais de três décadas, constatei que ainda é mais atuante a personalidade do gestor, indivíduo que evita riscos, depende de padrões organizados de trabalho e luta para mantê-los. Um líder empresarial, na opinião de Abraham Zaleznik, professor da Escola de Negócios de Harvard, teria muito mais em comum com artistas, cientistas e outros tipos criativos, do que com gestores.

Se aceitarmos essas diferenças, a grande pergunta a ser respondida é: como desenvolver o espírito de liderança se o gestor está submerso em um ambiente conservador e não recebe atenção, reconhecimento ou feedback sobre sua performance? Sem a cultura do empreendedorismo, estabelecida quando um líder está no comando de uma organização, a companhia fica estagnada e perde rapidamente sua força competitiva.

Considerando as diferentes gerações que hoje frequentam as funções de gestão nas organizações, observei que os jovens da Geração Y têm, mais frequentemente, potencial para liderar. Ao mesmo tempo, carecem da capacidade de gestão, onde as práticas operacionais e mais racionais se façam necessárias.

Uma organização pode formar líderes?

Durante as três décadas de experiência em formação de lideranças, concluí que a resposta é sim. Estas características podem ser desenvolvidas desde a infância no próprio ambiente familiar, ou podem ser aprendidas através da experiência do dia a dia, com a orientação de um Coach, em treinamentos de lideranças, leituras e até assistindo filmes. O importante é a humildade para estar aberto para aprender.

"A administração será, cada vez mais, a disciplina e a prática pelas quais as lideranças vão readquirir seu reconhecimento, impacto e relevância. O líder sabe o "porquê" e o gestor sabe "como". Juntas, essas duas qualidades podem conquistar o mundo. Separadas, correm o risco de não chegar até a próxima esquina”, afirma Peter Drucker, guru da Administração.

Toda empresa precisa buscar maneiras de treinar bons gestores e, ao mesmo tempo, desenvolver seus líderes.

*Simoni Missel  - CEO, Consultora em Gestão de Pessoas e Lideranças, Mestre em Psicologia (UNISINOS).

Mais artigos:
21/07/2017 - Público do CONCARH cresce 22% em relação às edições anteriores
13/10/2016 - Os motivos que fazem a carreira em Recursos Humanos estar em alta
11/10/2016 - A geração que encontrou o sucesso no pedido de demissão
28/09/2016 - e-Social: agora é pra valer!
 
Associação Brasileira de Recursos Humanos Litoral - Regional Itajaí
Sistema Nacional ABRH
Fone: (47) 3342 8877
Rua Samuel Heusi, 463 - Sala 207 - Centro
88301-320 - Itajaí - SC
Todos os direitos reservados 2009.
Desenvolvido por Ydeal Tecnologia.