Newsletter

Cadastre-se e receba nossos informativos

Nome:
Email:
 
Artigos
Headhunters dão dicas de como chamar a atenção dos recrutadores
Em: 05/12/2014 por: por Ana Maria Ramalho | Sua Carreira

Se você quer mudar de emprego, é preciso ficar de olho nas oportunidades que surgem. Muitas vezes, o recrutador está à procura de um profissional com o seu perfil, mas o seu nome, nem sempre é lembrado para um processo seletivo. Então, como fazer para chamar a atenção dos headhunters e estar presente no banco de dados das empresas de recursos humanos?

Há 25 anos, Ana Paula garimpa no mercado perfis de talento. O trabalho da headhunter é identificar os melhores profissionais em uma função ou em um segmento específico.

“Quem tem que conhecer o talento sou eu, não ele que tem que me conhecer, porque ele para mim é produto. Nunca ninguém chama ele de produto, mas para mim é um produto e o cliente é a empresa”, diz a headhunter da 2GET, Ana Paula Chagas.

Aos olhos do recrutador, uma qualidade é essencial para prosperar na carreira. “A liderança é a condição sine qua non para um líder hoje ser reconhecido como líder e ter visibilidade com os headhunters”, conta Ana Paula.

Ela recebe, em média, 80 currículos por dia. Muitos são completos e credenciam o candidato para a entrevista. Mas, na hora do bate-papo, é preciso ser objetivo. E jamais fazer o que muita gente faz:

“Eu diria que ainda, infelizmente, tem pessoas que em uma entrevista, por algum tipo de insegurança, subestimam a capacidade do entrevistador e mentem. Isso é morte. Omitir informação, dizer que terminou a faculdade e não terminou. Mentir: está fora do jogo”, sentencia Ana Paula.

E atenção a você, candidato: headhunter, inclusive, conversa com o seu círculo social. Para saber se você é bom mesmo:

“Dois telefonemas bastam para você dizer ‘esse cara é espetacular’”, conta Ana Paula.

Existe também a situação inversa: quando o interessado busca o recrutador. Segundo Henrique Bessa, diretor executivo da Michael Page, o interessado não deve tratar o mercado como ‘spam’. “Se ela mandar um e-mail conforme for para todo mundo, grande parte dos recrutadores não vão dar a atenção necessária e vão tratar também como spam”, diz.

É na Michael Page, empresa de recrutamento e seleção de executivos, que ele recebe, em média, 800 e-mails por dia. Por isso, é preciso ter foco:

“O profissional tem que ter um currículo claro, transparente, correto – desde o português até os cursos que ele fez – e encaminhar para a pessoa certa, com uma apresentação educada e bom senso na interlocução inicial”, explica Henrique.

Outro ponto importante: é preciso ter cuidado com o conteúdo postado em redes sociais, As páginas são visitadas e influenciam os headhunters, de forma positiva ou negativa.

“A partir do momento que você adicionou dentro da sua rede social contatos que são profissionais, você tem que ter muito cuidado com o que você posta na rede – desde uma foto, um comentário ou até uma crítica eventualmente em outros sites”, alerta Henrique

Mais artigos:
21/07/2017 - Público do CONCARH cresce 22% em relação às edições anteriores
13/10/2016 - Os motivos que fazem a carreira em Recursos Humanos estar em alta
11/10/2016 - A geração que encontrou o sucesso no pedido de demissão
28/09/2016 - e-Social: agora é pra valer!
 
Associação Brasileira de Recursos Humanos Litoral - Regional Itajaí
Sistema Nacional ABRH
Fone: (47) 3342 8877
Rua Samuel Heusi, 463 - Sala 207 - Centro
88301-320 - Itajaí - SC
Todos os direitos reservados 2009.
Desenvolvido por Ydeal Tecnologia.