Newsletter

Cadastre-se e receba nossos informativos

Nome:
Email:
 
Artigos
Conflito entre chefe e subordinado: e agora?
Em: 03/11/2014 por: Bernt Entschev coluna@debernt.com

A relação chefe e subordinado historicamente é fonte de conflitos. Algumas pessoas têm dificuldades em receber ordens, enquanto outras simplesmente não se encaixam em posições de liderança.

O fato é que essas relações por vezes complicadas podem prejudicar o trabalho da equipe e o produto final oferecido pela empresa. Então, como lidar com as dificuldades de relacionamento com a chefia? Qual o posicionamento da gestão da empresa e qual o posicionamento que pode ser tomado pela equipe de subordinados?

Por vezes, a organização pode colocar em posição de gestor um colaborador que não está realmente preparado para a função, o que pode gerar comportamentos inadequados e que podem vir a atrapalhar o restante da equipe. Os tipos de chefe que mais costumam causar problemas para a equipe são os enrolados, os contraditórios, os arrogantes, os agressivos, os preguiçosos e os covardes.

É preciso que, em primeiro lugar, a empresa incentive, por meio de sua cultura, a conversa entre ambas as partes, dando respaldo, principalmente, aos subordinados, para que eles se sintam seguros em dar feedbacks e reportar comportamentos inadequados. Além disso, as organizações devem avaliar periodicamente o comportamento de seus gestores, a fim de coibir comportamentos destrutivos.

Como agir

Evitar que problemas de convivência comprometam a qualidade do trabalho final não é tão simples, e depende não somente da postura madura do profissional em questão, como também da abertura e da maturidade da empresa para lidar com problemas interpessoais. O funcionário que se vê em conflito com a chefia precisa dar feedback e também pedir, para aprimorar a convivência. Caso uma conversa com a chefia direta não resolva, a melhor atitude é reportar os problemas para a alta gestão da empresa. O colaborador só não pode manter-se calado diante de tal situação.

Gestores despreparados existem em diversas empresas de diversos ramos, bem como funcionários insubordinados ou com personalidades difíceis. O importante para cada companhia é avaliar periodicamente comportamentos e dar abertura para que as equipes opinem, para assim permitir que as arestas sejam aparadas. Problemas existem em todo tipo de organização, e somente sai na frente quem consegue lidar com isso sem comprometer o clima organizacional.

Mais artigos:
21/07/2017 - Público do CONCARH cresce 22% em relação às edições anteriores
13/10/2016 - Os motivos que fazem a carreira em Recursos Humanos estar em alta
11/10/2016 - A geração que encontrou o sucesso no pedido de demissão
28/09/2016 - e-Social: agora é pra valer!
 
Associação Brasileira de Recursos Humanos Litoral - Regional Itajaí
Sistema Nacional ABRH
Fone: (47) 3342 8877
Rua Samuel Heusi, 463 - Sala 207 - Centro
88301-320 - Itajaí - SC
Todos os direitos reservados 2009.
Desenvolvido por Ydeal Tecnologia.