Newsletter

Cadastre-se e receba nossos informativos

Nome:
Email:
 
Artigos
Assédio moral no trabalho: saiba como denunciar.
Em: 27/08/2014

Mulheres e negros costumam serem as principais vítimas, diz advogado trabalhista. Tire suas dúvidas!

"Você é mesmo difícil. Não consegue aprender as coisas mais simples! Até uma criança faz isso e só você não consegue" ou ainda "A empresa não precisa de gente incompetente igual a você". Cobranças assim são algumas das pressões verbais e psicológicas que muitos empregadores submetem a seus empregados. Se seu chefe dificulta seu trabalho, enche de tarefas, faz duras críticas e brincadeiras de mau gosto em público, atribui a você erros que não existem, impõe horários impossíveis, entre outras situações, você pode estar sendo vítima de assédio moral no seu trabalho.

Há casos extremos de assédio. Numa loja de utilidades domésticas, no Rio Grande do Sul, eram realizadas reuniões onde os vendedores "eram chamados de ignorantes, burros, parasitas", com o gerente os ameaçando com perda de emprego caso não cumprissem suas cotas. Em outro caso, esse ocorrido em Belo Horizonte, uma indústria de bebidas costumava aplicar castigos a seus empregos, obrigando-os a constrangimentos como desfilar de saia rodada, perucas e batom diante dos colegas e até mesmo de visitantes.

No Brasil, o problema do assédio moral é mais grave do que se pensa. Segundo dados divulgados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2011, o assédio moral já é considerado um grave problema para a saúde pública. O levantamento revelou que 42% dos brasileiros disseram ter sofrido algum tipo de assédio moral no ambiente de trabalho.

Para o advogado trabalhista Aparecido Inácio, autor do livro "Assédio moral no mundo do trabalho" (Ed. Ideias e Letras), o assédio moral pode ser definido pela exposição dos trabalhadores a situações humilhantes e constrangedoras, geralmente repetitivas e prolongadas, durante o horário de trabalho e no exercício de suas funções, situações essas que ofendem a sua dignidade ou integridade física. Mulheres e negros, conta o advogado, costumam serem as principais vítimas. E que, em alguns casos, um único ato, pela sua gravidade, pode também ser caracterizado como assédio.

"Podemos dizer que o assédio moral é toda e qualquer conduta, que pode se dar por meio de palavras ou mesmo de gestos ou atitudes, que traz dano à personalidade, dignidade ou integridade física ou psíquica do trabalhador e que põe em risco seu emprego ou degrada o ambiente de trabalho. Na maioria das vezes, o assediado tende a desistir do emprego ou no caso do serviço público é muitas vezes forçado a pedir transferência", explica Aparecido, que analisou mais de 2.500 casos de assédio moral para escrever o livro.

Por MADSON MORAES

Mais artigos:
21/07/2017 - Público do CONCARH cresce 22% em relação às edições anteriores
13/10/2016 - Os motivos que fazem a carreira em Recursos Humanos estar em alta
11/10/2016 - A geração que encontrou o sucesso no pedido de demissão
28/09/2016 - e-Social: agora é pra valer!
 
Associação Brasileira de Recursos Humanos Litoral - Regional Itajaí
Sistema Nacional ABRH
Fone: (47) 3342 8877
Rua Samuel Heusi, 463 - Sala 207 - Centro
88301-320 - Itajaí - SC
Todos os direitos reservados 2009.
Desenvolvido por Ydeal Tecnologia.